Amazon MP3 Clips

segunda-feira, 1 de fevereiro de 2010

Parapsiquismo Sadio 2

O parapsiquismo, muito associado à mediunidade, é uma habilidade que pode ser desenvolvida. Para ser sadio, a pessoa precisa adquirir controle sobre o processo

Por alexander steiner

Pesquisas parapsíquicas

No final do século XIX, o Espiritismo (1848), a Metapsíquica (1875) e a Parapsicologia (1889) iniciaram as primeiras pesquisas parapsíquicas com interesse científico. Charles Richet (1850- 1935), médico que recebeu o Prêmio Nobel de Medicina e Fisiologia (1913), foi um dos pesqui- sadores da metapsíquica. Em outubro de 1892, participou em Milão de uma série de experiên cias comprovando a autenticidade da parapsí- quica Eusápia Paladino, médium de efeitos fí- sicos. Richet também pesquisou sobre telepatia, clarividência e premonição.




experiências mostraram que, por meio da clarividências viajora, um sensitivo previu que haviam anéis em volta de júpiter, fato confirmado seis anos depois, com a sonda Voyager, em 1979

A partir do Congresso de Utrecht, que ocor- reu na Holanda, em 1953, a metapsíquica dá espaço à Parapsicologia. No Brasil, numerosos pesquisadores, entre eles Hernani Guimarães Andrade, Henrique Rodrigues, Márcia Tabone e Walter Rosa Borges ajudaram, com suas investi- gações, o desenvolvimento dessa ciência. Em 1973, nos EUA, foram realizadas expe- riências com os sensitivos Ingo Swann e Harold Shermann, que exploraram pela clarividência viajora os planetas Júpiter e Mercúrio.

Nessas experiências, Swann afirmou a presença dos anéis de Júpiter, fato confirmado somente em 1979, com a sonda Voyager. Há uma proposta de pesquisa sobre Expe- riência da Quase Morte (EQM), envolvendo pesquisadores em salas de emergência dos EUA e da Europa. Nessa pesquisa, a ideia é colocar alguns objetos em pontos sem ângulo de visão para quem estiver em pé ou deitado na cama de ressuscitação.

Neste caso, se a pessoa passar por uma EQM e estiver acima de seu corpo, próxi- ma ao teto, como em vários relatos, espera-se que ela seja capaz de identificar esses objetos. Um dos editores da revista New Scientist realizou uma pesquisa visando provar que a comunidade científica rechaçava a existência dos fenômenos parapsicológicos, o que trouxe algumas surpresas. Cerca de 75% dos pesqui- sados opinaram que esses fenômenos estavam comprovados ou em vias de comprovação.

O que mais surpreendeu foi o fato de 40% dos pesquisadores declararem que além de aceitar, já tinham experimentado pessoalmente algum tipo de fenômeno parapsíquico. Com o tempo e com novas pesquisas, o mais provável é que cresça nas pessoas o interesse em desenvolver seus potenciais parapsíquicos, dei- xando de depender de um intermediário, seja este qual for, e passando a ter experiências e vivências pessoais em prol do estudo científico do parapsiquismo.

REFERÊNCIAS

conscienciopedia. Disponível em: http://pt.conscienciopedia.org/ VIeIra, Waldo. Projeciologia: Panorama das Experiências da Consciência Fora do Corpo Humano. Rio de Janeiro. IIPC, 1999
Revista Psique

Nenhum comentário:

Postar um comentário